Tocando Agora:
Rádio Ao Vivo...

Aparelhos Autoligados

Nenhum comentário
Escrito por Paz no Vale | Puplicado em Saúde
27mar

O que é aparelho autoligado?

Aparelho autoligado é aquele no qual as próprias “pecinhas” (bráquetes) possuem um clipe que prende o fio a própria peça. Ou seja, esse clipe do bráquete exerce a função da famosa borrachinha colorida. O aparelho autoligado não usa a borrachinha colorida para prender o fio ao bráquete.

É verdade que o tratamento termina mais rapidamente?

Não há comprovações científicas que isso aconteça… O mais importate é a colaboração por parte do paciente e o dentista dominar a técnica. Não pense que aparelho autoligado é só colocar que ele resolve tudo sozinho. É necessário atenção e cuidados. As peças podem soltar ao comer algo duro, o arco pode sobrar lá atrás e furar a boca…O tratamento termina um pouco mais rápido que o tradicional, por não haver atrito. Mas a colaboração do paciente  continua sendo o fator mais importante.

As consultas podem ser mais espaçadas?

Sim, o intervalo entre uma consulta e outra pode ser de um a dois meses.Esse é um dos maiores diferenciais dos aparelhos autoligados. Mas o ideal é um bom acompanhamento . E se o pacientetiver alguma dúvida ou problema, procurar seu dentista.

Dói menos?

Como o atrito é menor, dói um pouco menos. Mas não é do jeito que você imagina.

Custa mais caro?

Como se trata de um tipo de tratamento um pouco mais sofisticado, custa um pouco mais caro. Geralmente o sistema de cobrança é um pouco diferente. Existe um valor de pacote cheio, sem valores de manutenção, mas que o paciente pode parcelar mensalmente.

É verdade que junta menos resíduos em volta dele?

É verdade. Isso porque não há as borrachinhas (anel elástico de ligadura), que acumulam muitos resíduos. Mas há de se tomar muito cuidado com a escovação, pois os resíduos acumulam em volta das peças e se a escovação for ruim, ocorre adescalcificação (manchas brancas).

É verdade que o aparelho autoligado evita extrair dentes?

Esse tipo de aparelho provoca uma certa expansão na arcada dentária. Há casos em que essa expansão resolve o problema de espaço. Mas há casos que não, e há necessidade de se extrair dentes. Aparelho autoligado não faz mágicas. O ortodontista tem que pensar na saúde dos dentes e das gengivas.

O caso do paciente é planejado na documentação ortodôntica, com avaliação dos espaços necessários para alinhamento dos dentes e análise do perfil ósseo e mole (fotos). Não seria indicado uma expansão violenta no arco, para acomodar todos os dentes e evitar extrações. Isso comprometeria o perfil da pessoa. Além do que expansões demasiadas nos arcos não possuem estabilidade (ou seja, há possibilidade de voltar a ser tudo como era antes, depois de tirar o aparelho).

Os bráquetes autoligados são melhores que os convêncionais?

Não pense que esse tipo de aparelho é milagroso. É muito semelhante ao tradicional, que usa as borrachinhas. Pode sair, espetar, machucar. Tem que comer alimentos leves. Tem que escovar com cuidado, usar fio dental. Existem os bráquetes metálicos e os estéticos.

O que nivela os dentes é o fio e não o bráquete. Se o bráquete não for colocado na posição correta, pode “entortar” o dente. Os fios usados atualmente e que aceleram o tratamento são os de níquel -titânio e os termo ativados.

A tecnologia do bráqueteautoligado, ou seja, o clipe que prende o arco ortodôntico à peça, já existe há muito tempo… Desde a década de 30 já se utilizava um projeto semelhante, de bráqueteautoligado. Mas foi mesmo na década de 90 que surgiu o sistema Damon, não tão avançado quanto o Damon System de hoje, mas semelhante e que foi aprimorado chegando ao atual.
Os bráquetesautoligados são apenas mais uma opção na hora do tratamento, assim como são os bráquetes estéticos, por exemplo.

Os verdadeiros resultados  se devem ao conhecimento do ORTODONTISTA QUE PLANEJA UM TRATAMENTO e não ao tipo de bráquete utilizado.

Pense bem nisso!!

Dra. Mariela Comar (CRO 5967)

hospitaldodente.com.br